ANTES DE SER MORTO EMPRESÁRIO CONVERSOU COM O ASSASSINO QUE SE PASSOU POR CLIENTE PARA COMETER O CRIME.

HOMICÍDIO EM MARINGÁ

A Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa, com apoio da Polícia Científica, está investigando um crime de homicídio que aconteceu durante a tarde deste domingo (21), em uma tabacaria situada no cruzamento da Av.Lucilio de Held, com a Rua Maranhão, no Jd Alvorada, em Maringá.

A vítima foi identificada sendo Alan Tomé de 30 anos, ele já contava com antecedentes criminais. Conforme a Polícia Militar, um homem teria chegado a pé no local, e ido direto ao proprietário do estabelecimento que séria Alan, neste momento o suspeito fez alguns pedidos para o comerciante e disse que queria um cigarro, mas a vítima falou que não tinha, então o suspeito tornou a fazer outro pedido, quis um refrigerante. No momento que Alan foi buscar, ele foi surpreendido pelas costas com vários disparos que teriam sido realizados pelo suposto cliente que na verdade foi no local para praticar o crime. Após atirar contra a vítima o autor fugiu a pé. No momento da execução havia várias pessoas no estabelecimento.

O socorro foi acionado, mas quando a equipe Intervencionista do Samu chegaram, a vítima já estava sem vida. A cena do crime foi isolada pela Polícia Militar. O Instituto de Criminalística juntamente com o IML estiveram no local.

Um trabalho detalhado de perícia foi realizado em todo o ambiente do crime. Conforme o Perito Criminal Caio, foram encontrados pelo menos 12 estojos de pistola calibre 9.mm deflagrados no local. Em uma primeira análise realizada no corpo, foram verificados 8 perfurações na vítima (de entrada e saída dos disparos). O corpo foi recolhido na sequência e encaminhado ao Instituto Médico legal de Maringá.

A Polícia Civil investiga o caso e nenhuma hipótese é descartada em relação à motivação do crime. Ainda segundo a PM, Alan contava com passagens pela polícia por porte ilegal de arma de fogo e ameaças. Ele tinha comprado a tabacaria há pouco tempo atrás, e tinha também uma oficina de motos.

No momento do crime a sua convivente estava no local e presenciou todo o ocorrido. Câmeras de segurança deverão ajudar no trabalho de investigação já que no estabelecimento há várias.

CONFUSÃO E PRISÃO DURANTE HOMICÍDIO

Durante o atendimento da ocorrência, um homem com uma motocicleta, começou a acelerar o seu veículo próximo da cena do crime, de imediato os policiais desconfiaram, e foram verificar. No momento que conversaram com suspeito perceberam que ele estava apresentando suspeitas de embriaguez, inclusive o motociclista recusou fazer o teste do bafômetro. Os PMs a força tiveram que conter o indivíduo, ele não queria ser preso, chegou a desacatar as autoridades. Mesmo resistindo, os policiais conseguiram colocar o homem no camburão da viatura e encaminhou ele diretamente para a Delegacia de Polícia Civil de Maringá.
Via: Plantão Sarandi

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.