Acusados pela morte do casal Kawany e Rubens vão a júri popular

A decisão é do juiz Christian Palharini Martins, da Comarca de Goioerê.

Kawany e Rubens desapareceram na noite de 3 de agosto de 2020, em Goioerê. O filho do casal, na época com apenas quatro meses de idade, foi encontrado abandonado numa calçada.

No dia seguinte, o carro de Kawany e Rubens foi localizado queimado numa cidade vizinha.

Três meses após o desaparecimento, a Polícia Civil concluiu o inquérito. Quatro pessoas foram indiciadas e presas. Uma delas, Mauro José Cavalcante, morreu no ano passado. Ele estava preso na Penitenciária Estadual de Cruzeiro do Oeste, passou mal, foi levado ao hospital, mas sofreu uma parada cardiorrespiratória.

Os outros acusados continuam presos.

A denúncia diz que a motivação para o crime foi torpe, porque os denunciados presumiam que as vítimas tinham delatado o tráfico de drogas que havia no endereço de uma das acusadas.

O juízo determinou que Suziane Ferreira dos Santos e Alesandro Benatti de Souza Junior sejam julgados pelos crimes de duplo homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver.

A data para a realização do Tribunal do Júri será definida depois do trânsito em julgado da sentença de pronúncia.

O juízo julgou improcedente a denúncia contra Tatiana Aparecida da Silva.Ainda de acordo com a sentença, Suziane e Alesandro devem permanecer presos.

Os corpos de Kawany e Rubens ainda não foram encontrados.

O Portal Imprensa Livre está tentando contato com a defesa dos réus.

Leave a Reply

Your email address will not be published.