Goioerense Ramon Lima Condutor socorrista do Samu realiza a temida travessia da Praia do Cassino no RS.

A popularmente conhecida travessia da praia do cassino, também chamada de caminho dos faróis, é a maior praia do mundo em extensão de areia,  localizada no RS, tem início no município de rio grande e se estende até a cidade de Chuí, divisa com o Uruguai. Mundialmente conhecida, essa travessia é famosa pela sua dificuldade técnica, física e pelo total isolamento, são 227km que tem início nos moles da praia do cassino e se estende até os moles da cidade de Chuí, alguns fazem a travessia de carro 4×4, moto, bicicleta ou a pé.

Sempre gostei do contato com a natureza e de esposte, de aventura, e quando soube que a maior praia do mundo estava localizada aqui no Brasil, fiquei entusiasmado em encarar esse desafio, foram 5 meses de planejamento, preparação física, pesquisas e equipamentos,  decidi por fazer essa travessia caminhando e sozinho ressaltou Ramon .

Em minha mochila, carregava exatamente tudo o que eu precisava, visto que só se encontra civilização no início e no final da travessia,  todo o restante é marcado pelo isolamento,  sem casas, sem comércios, sem sinal de celular, somente a areia, o mar, as dunas e um orizonte infindável,  não há espaço para erros, por isso ela é  chamada de abismo horizontal. Iniciei a travessia no dia 17/08/22 determinado a conseguir chegar do outro lado, mas também consciente em respeitar os limites do corpo, com a mochila pesando 23kg, planejava fazer a travessia em 8 dias, mas estava preparado para 10.

Já no primeiro dia de caminhada percebi o porque muitos iniciam a caminhada e desistem, o vento contra, a areia fofa, o isolamento e a constante paisagem que pouco muda, elevam o nível de dificuldade, é uma luta constante das dores no corpo, pés e costas te convencendo a desistir, contra a mente que estava muito bem motivada e decida a atravessar. Pelo caminho é possível encontrar alguns navios naufragados, entre eles o Altair, bastante conhecido na região, também existem boias, containers e animais mortos como focas, tartarugas, leões marinhos, pinguins e até baleias que a o mar aberto traz. Até mesmo avistei cavalos selvagens que correm livres pela areia. Na travessia passa por quatro faróis, o primeiro é o Sarita,

segundo é  o Verga, o terceiro é o Albardão, o único habitado por dois soldados da marinha e considerado o farol mais isolado do Brasil,  e por último, o farol de Chuí onde encerra a travessia na parte brasileira. Foram 7 dias caminhando durante o dia e acampando durante a noite, encontrei poucas pessoas durante a travessia, elas ficavam admiradas e tiravam fotos e vídeos, fiz amizades e contava com a solidariedade e preocupação  de alguns aventureiros com camionete de trilha que passavam. Foi uma experiência incrível, saber a enorme capacidade que o corpo humano tem e a superação que o desfio nos traz, lições que levarei pra vida, entre elas o valor que tem um pequeno passo atrás do outro e a conquista através do sacrifício. No dia 23/08/22 completei minha jornada, feliz e grato por ter conseguido, a imersão com a natureza e o auto conhecimento adquiridos na travessia serão levados junto com as lembranças pelo resto da minha vida finaliza Ramon .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.