Adolescente confessa ter matado empresário e pendurado seu corpo para simular suicídio.

A Polícia Civil de Maringá repassou detalhes sobre o crime que tirou a vida de Cláudio Roberto Malbino Batista, de 48 anos, que foi encontrado nu e enforcado na manhã desta segunda-feira (5), em um chácara na região de Floresta. Segundo eles, o crime teria sido cometido por um adolescente, de 14 anos, que também teria simulado o suicídio do empresário.

Devido à forma como Cláudio havia sido encontrado, o caso foi tratado inicialmente como suicídio. Porém indícios descobertos por peritos da Criminalística da Polícia Civil apontavam para um latrocínio – que é roubo seguido por morte -, uma vez que o corpo da vítima havia sido revirado e alguns de seus pertences estavam desaparecidos.

Foi somente nesta quarta-feira (7), que os investigadores conseguiram identificar o suspeito, que seria um adolescente de 14 anos residente em Itambé. Ele foi encaminhado até a Delegacia de Polícia, onde confessou os crimes e contou mais detalhes sobre o episódio.

Segundo ele, o empresário foi morto após um desentendimento durante um churrasco em um chácara da vítima. Cláudio Roberto foi asfixiado até a morte e teve seu cadáver pendurado por uma corda, que simulava um suicídio.

Antes de fugir, o adolescente furtou o celular e algumas correntes de ouro da vítima. O celular foi entregue a um amigo, que enterrou o aparelho em um terreno baldio. As correntes foram entregues ao irmão do suspeito e também foram enterradas.

Após serem ouvidos, os três foram liberados por não terem sido apanhados em flagrante.

O crime

Cláudio Roberto Malbino Batista, de 48 anos, foi encontrado morto em uma propriedade rural, na manhã de segunda-feira (5). O homem, que é morador de Floresta e dono de um supermercado, foi encontrado, sem roupas, pendurado pelo pescoço em uma árvore da chácara.

A polícia apurou que o portão da propriedade estava trancado por dentro, e ouviu de testemunhas que o empresário costumava realizar festas no local. O caso foi tratado inicialmente como suicídio, porém as equipes logo trabalhavam com a hipótese de Cláudio ser vítima de um latrocínio, haja visto que teve seus pertences roubados.

Após a coleta de evidências, o corpo do morador foi recolhido e encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Maringá.

via: Obemdito

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.