Motorista que atropelou jovens que ensaiavam fanfarra se apresenta e diz que fugiu por medo de represálias.

O motorista do GM/Monza que na tarde desse domingo, 4, atropelou um grupo de Desbravadores da Igreja Adventista do 7º Dia de Campo Mourão, enquanto eles ensaiavam a fanfarra, se apresentou na tarde desta segunda-feira, 5, na delegacia de Polícia Civil, acompanhado de seu advogado.

O homem foi interrogado, mas se reservou ao direito de permanecer calado. Apenas ao ser questionado sobre o motivo de não ter prestado socorro às vítimas, ele respondeu que só saiu do local por medo de ser linchado.

Imagens de câmeras de vigilância mostram que ele chegou a parar, mas depois acelerou quando outras pessoas chegaram e tentaram tirá-lo do carro. “Ele disse que fugiu do local porque teve medo de ser espancado pelas pessoas que chegaram e tentaram tirá-lo a força do carro”, disse o delegado-chefe da 16ª Subdivisão Policial, Nilson Rodrigues.

Ele não respondeu mais nada relacionado ao acidente e também não apresentou o veículo. “Não vejo motivo para não apresentar o veículo, mas as diligências serão mantidas na tentativa de apreender esse automóvel. Também vamos carrear para os autos as demais provas que são depoimento das vítimas, laudos de lesão corporal e também laudos médicos dos hospitais para que o inquérito possa esclarecer a verdade real sobre o ocorrido”, declarou o delegado.

Os jovens ensaiavam na rua Roberto Brzezinski, próximo à Igreja Adventista, quando o veículo causou o atropelamento. Minutos antes, outro carro passou e desviou do grupo. As vítimas, entre 14 e 29 anos sofreram várias lesões e receberam atendimento do Samu e Siate, que os encaminharam ao hospital Pronto Socorro.

Fonte: Tasabendo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.